Possivelmente você está cometendo ao menos um dos 7 erros que estão lhe impedindo de ter uma vida financeira abençoada. O preocupante disso é que cada um deles pode arruinar a sua vida financeira, espiritual, emocional e conjugal.

Sendo assim é de fundamental importância conhecermos o que a Bíblia fala sobre as nossas finanças. Esse conhecimento é capaz de libertá-lo dos problemas financeiros, organizar a sua vida financeira e permitir a adoção de bons hábitos financeiros.

Então, se você deseja evitar cair em erros financeiros (que ocorrem com grande parte da população), sair do vermelho ou melhorar a sua saúde financeira, continue lendo este artigo e conheça 7 grandes erros financeiros de acordo com a Bíblia.

Ah, caso preferir você também pode ver a versão desse artigo em vídeo combinado? =)

1º – Acreditar que o dinheiro não é importante

Acreditar que o dinheiro não é importante é um dos 10 mais famosos mitos bíblicos sobre dinheiro.

Infelizmente… é provável que você já tenha dito, ou ouvido, frases como:

  • Dinheiro não é importante
  • Dinheiro é sinônimo de problema
  • Eu não me importo com dinheiro

A verdade é que pensamentos assim contradizem o plano financeiro de Deus para você revelado nas Escrituras Sagradas. Deus considera o dinheiro muito importante. E por isso a Bíblia está repleta de ensinamentos e princípios relacionados às finanças. Veja:

  • Das 613 leis descritas no Pentateuco (os 5 primeiros livros da Bíblia) mais de 100 abordam assuntos relacionados ao dinheiro
  • Jesus falou sobre dinheiro cerca de 80 vezes
  • 21 das 49 parábolas de Jesus estão relacionadas ao dinheiro
  • Cerca de 20% do sermão do monte (capítulos 5, 6 e 7 do livro de Mateus) mencionam assuntos financeiros

Acreditar que o dinheiro não é importante é se enganar. Afinal, ele está envolvido em nosso dia a dia e praticamente tudo que fazemos possui relação com ele.

Negligenciar a relevância das finanças em nossa vida abre portas para muitos problemas. Afinal, pesquisas indicam que uma vida financeira desestruturada motiva 56% dos divórcios (pesquisa realizada pela Universidade de Kansas, texto em inglês) Além disso, as dívidas podem gerar insonia, falta de apetite, estresse, baixa auto-estima, entre outros.

Certamente não é esse o proposito de Deus para você.

Agora pense comigo…

  • Se você dissesse para seu cônjuge ou a um amigo que ele não é importante para você, ele permaneceria com você?
  • Você teria um carro ou um cachorro se ele não fosse importante para você?

A resposta é não!

Esse princípio também funciona para o dinheiro. A medida que o consideramos não importante, ele se afasta de nós. Pensando assim, você nunca vai ter a vida financeira abençoada.

Nesse sentido quero que lembre de todos que falam que o dinheiro não é importante e reflita sobre a vida financeira deles. Quando fiz isso, percebi que todos que conheço que possuem esse pensamento tinham uma vida financeira desequilibrada e cheia de dívidas.

O dinheiro não é a coisa mais importante do mundo, mas afeta todas as coisas que são importantes.
Robert Kiyosaki

Uma busca séria por autoconhecimento e desenvolvimento pessoal exige o conhecimento do significado que o dinheiro tem para nós. Entender a importância do dinheiro e sua relação com ele é um dos principais pilares do conhecimento pessoal. Jesus já dizia:

Onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração”
Jesus

É fundamental reconhecer a devida importância do dinheiro de modo que ele não seja mais, nem menos, do que de fato é. Sim, dinheiro é importante, mas existem muitas coisas mais importantes que o dinheiro.

2º – Acreditar que o dinheiro é mal

Dinheiro é mal

“O dinheiro é a raiz de todo mal”.

Esse pensamento é baseado em uma interpretação equivocada da Bíblia. Veja:

Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.
1 Timóteo 6:10

O versículo não fala que o dinheiro é mal e sim o amor ao dinheiro. O mesmo dinheiro que pode servir para subornar um policial, também pode ser usado para ajudar um necessitado.

Ser bom ou mal não está no dinheiro e sim no que fazemos com ele.

O que você tem feito com o seu?

3º – Não conhecer a fonte

Fonte de riqueza

Você nasceu sem nenhum dinheiro e quando morrer, nenhum dinheiro vai levar e os bens adquiridos vão ficar.

Pensar por essa perspectiva ajuda a entender que nada é nosso, tudo é de Deus. Sua casa é Dele, seu carro é Dele, você é Dele.

Antes te lembrarás do Senhor teu Deus, porque ele é o que te dá força para adquirires riquezas; a fim de confirmar o seu pacto, que jurou a teus pais, como hoje se vê.
Deuteronômio 8:18

Ao entender que tudo vem de Deus, passamos para um novo patamar de vida. Percebemos que a fonte do nosso dinheiro não é o nosso trabalho ou nossos rendimentos. No fundo, estes são apenas canais que a fonte, Deus, utiliza para deixar, o que é dele, aos nossos cuidados.

Este é um dos princípios bíblicos mais fortes que exite: Nós somos mordomos.

Em outras palavras, somos administradores das posses de Deus. Sendo assim, é necessário administrarmos com zelo, sem displicência, pois o próprio Deus nos confiou essa tarefa.

4º – Tratar o trabalho como um castigo

Infeliz no trabalho

Muitos tratam o trabalho como um castigo divino para o pecado cometido por Adão. Mas isso é um equivoco.

O texto de Gênesis 3:17 diz que após a queda Adão teve que trabalhar, com o suor do seu rosto, para adquirir o seu sustento. Entretanto Adão já trabalhava antes desse acontecimento, e mais: trabalhava por determinação de Deus, conforme está escrito em Gênesis 2:15: “E tomou o Senhor Deus o homem, e o pôs no jardim do Éden para o lavrar e o guardar“.

Assim como foi determinado que Adão deveria trabalhar, Jesus também o fez: “Meu Pai trabalha até hoje, e eu trabalho também” (João 5:17). Como Jesus poderia fazer o que seria um castigo?

Não se iluda, foi Deus que criou o trabalho e o desejo Dele é que você tenha prazer em suas atividades. Então, trabalhe com prazer.

A Bíblia recomenda: “o que lavra deve lavrar com esperança e o que debulha deve debulhar com esperança de ser participante” (1 Coríntios 9:10). Acredite no seu trabalho e o faça com fé, pois, sem fé, é impossível realizar algo de valor.

E tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como ao SENHOR, e não aos homens, Sabendo que recebereis do SENHOR o galardão da herança, porque a Cristo, o Senhor, servis.
Colossenses 3:23-24

5º – Se apegar ao dinheiro

O amor ao Dinheiro lhe afasta de uma Vida Financeira Abençoada

A maior prioridade da sua vida é ter dinheiro? O que você tem nunca é o suficiente?

Se a sua resposta foi sim para algumas das perguntas acima, cuidado! Isso pode ser um indício do seu amor ao dinheiro.

Mas porque amar o dinheiro é algo ruim?

“Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.” (1º Timóteo 6:10)

Pelo amor ao dinheiro vemos a corrupção se alastrar em nosso país, vemos a criminalidade bater em nossas portas e relacionamentos sendo destruídos.

Dinheiro não vale nada por si só. Pense, ele é apenas um papel ou um registro no banco. Ele é consequência de uma vida e não o fim. Quando você tira o foco do dinheiro e coloca nas pessoas, a chance de ser prospero financeiramente aumenta.

Veja só…

Bill Gates é um dos homens mais ricos do mundo e também um dos que mais ajuda a sociedade atual. Se você está usando Windows, você está sendo ajudado por ele.

Lembra da historia de Salomão? Ele foi o homem mais rico do mundo mas toda essa riqueza começou do seu desejo por sabedoria a fim de ajudar seu povo.

A verdadeira medida de nossa riqueza está em quanto valeríamos se perdêssemos todo nosso dinheiro
J H Jowett

6º – Não se preparar para crises

Se prepare para crise e melhor sua saúde financeira

O mundo é cíclico, tempos bons vem e vão, empresas abrem e fecham e empregos não são vitalícios.

Todos nos estamos sujeitos a tempos difíceis que colocam em risco a nossa vida financeira: a doença de um ente querido, o desemprego, uma crise econômica… a própria Bíblia fala que teremos aflições. E o que podemos fazer diante desse cenário?

A resposta é: nos preparar!

É possível passar por dificuldades financeiras imprevistas, sem passar necessidades. É possível passar pelo desemprego sem desespero.

Para isso, poupar é preciso.

Temos na Bíblia uma historia fantástica do quão providencial pode ser o ato de poupar. Lembra quem foi José do Egito? Dos 7 anos de prosperidades seguidos de 7 de escassez vividos pelo Egito?

A solução dada por Deus nesse tempo foi poupar 20% de tudo que se produzia para que, quando a seca chegasse, houvesse recurso.

Vemos que essa atitude apresentou consequências muito maiores do que a simples provisão no tempo ruim. Isso colocou o Egito em lugar de destaque no mundo. Imagine… todos os países vivendo grande escassez e tendo o Egito como a solução para a fome.

Assim também acontece conosco. Quando poupamos, além de termos proventos em situações adversas, nos tornarmos mais prósperos e também conseguimos prover para nossos semelhantes.

8º – Não fazer doações

Fazer doações

Olhe o que Provérbios 11:25 fala “A alma generosa prosperará e aquele que atende também será atendido”.

Simples e claro, para receber é preciso aprender a dar. Para ser servido, é importante servir. Esse é o ensinamento de Cristo.

O interessante é que a doação é recomendada por muitos especialistas financeiros que não são cristãos, como por exemplo T. Harv Eker, autor do livro “Os segredos da mente milionária”.

Doar é um dos 5 pilares da educação financeira, que são: ganhar dinheiro, poupar dinheiro, gastar dinheiro, investir dinheiro e doar dinheiro.

Muitos homens ficam de mãos vazias porque não conhecem a arte de repartir
C H Spurgeon

Muitos passam a vida inteira correndo atrás de dinheiro e nessa corrida se esquecem da real motivação de sua busca. O ato de doar nos ajuda a retirar o foco do dinheiro e focar no que realmente interessa.

Para saber mais sobre doações e ofertas, recomendo a leitura dos artigo Os 50 melhores versículos para oferta.

Conclusão

A Bíblia nos apresenta muitos insumos para termos uma vida financeira abençoada. Para tal, é necessário conhecermos o plano de Deus para as nossas finanças e desviarmos dos erros cometidos por muitos.

É fundamental saber que Deus está interessado em nossas finanças e o modo como tratamos com elas revela muito sobre quem somos e ao que damos prioridade.

Ao final dessa leitura, espero que você esteja mais preparado para evitar erros na área financeira.

Se você gostou desse artigo, recomendo que assista uma apresentação onde eu explico o por que a Bíblia é a maior fonte de finanças pessoais do mundo! Clique na imagem abaixo para conferir:

O maior guia para uma vida financeira abençoada

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!