O que são e quais são os Evangelhos Sinóticos

Você certamente já leu algum comentário bíblico ou ouviu alguma pregação onde se falou a expressão “evangelhos sinóticos”, e deve ter ficado se perguntando: o que é isso? Vamos explicar objetivamente para você.

O que são e quais são os Evangelhos Sinóticos

São os três primeiros livros do Novo Testamento, a saber: Mateus, Marcos e Lucas.

A palavra Sinótico deriva de dois vocábulos gregos que significam “visão conjunta”. Em outras palavras, possuem a mesma visão.

São denominados evangelhos sinóticos justamente por que são muito semelhantes em suas narrativas, quanto ao acontecimento dos fatos.

De acordo com a hipótese mais antiga da tradição oral, as semelhanças se devem a uma rápida cristalização da tradição a cerca de Jesus em forma oral mais ou menos fixa, vindo posteriormente a assumir forma escrita.

Se isto for verdade, significa que os três evangelhos sinóticos foram escritos baseados em testemunhos que cada autor vivenciou nos dias de Jesus.

Então porque João não está entre os evangelhos sinóticos?

O evangelho de João não está entre os evangelhos sinóticos porque sua abordagem não se assemelha às dos três primeiros. Essa diferença foi notada desde as igrejas dos primeiros séculos.

De acordo com Clemente de Alexandria (por volta de 200 d.c.), João estava preocupado em transmitir a essência interior de Cristo, visto que os demais já haviam tratado dos fatos históricos.

O problema Sinótico

Os evangelhos sinóticos ainda são temas para debate. Mais recentemente, dois estudiosos escandinavos revisaram a hipótese dos três primeiros evangelhos terem sidos produzidos a partir da tradição oral, testemunho.

Eles reconhecem que havia uma grande importância da memória na cultura judaica antiga. Essa importância que o judaísmo dava à tradição oral, explicaria a semelhança entre os evangelhos sinóticos.

Controvérsia

Porém, a maior parte dos estudiosos da atualidade duvida que a transmissão meramente verbal pudesse ter conservado tantas e tão minuciosas similaridades verbais como aquelas que existem nos evangelhos sinóticos.

Sobretudo nas narrativas, as quais dificilmente refletiriam a capacidade de memorizar, palavra por palavra, as afirmações de Jesus.

O evangelho de Marcos como fonte para Mateus e Lucas

É discutido ainda hoje entre estudiosos do Novo Testamento, a hipótese de que Lucas e Mateus utilizaram como fonte para seus escritos, o próprio evangelho de Marcos.

Isto se deve ao fato de que o evangelho de Marcos é considerado o primeiro a ser escrito, embora a tradição cristã primitiva deixa transparecer incerteza quanto a Marcos ter escrito seu evangelho antes ou depois do martírio de Pedro (64-67 d.c.).

Se Mateus e Lucas se utilizaram do evangelho de Marcos para compor os seus próprios, isso explicaria tamanha semelhança entre os evangelhos sinóticos.

Conclusão

Se os evangelhos sinóticos foram escritos a partir de testemunhos, ou mesmo, se Mateus e Lucas Usaram o evangelho de Marcos como fonte, não importa.

A incerteza da causa das semelhanças entre eles não tira a validade histórica e espiritual de nenhum deles. Pelo contrário, cada um complementa o outro tanto histórica quanto teologicamente.


Talvez queira ler também: Zaqueu O Publicano | Estudo de Zaqueu | Quem foi na Bíblia?

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!