Porquanto, para mim, o viver é Cristo, e o morrer é lucro” (Filipenses 1:21)

Aqui Paulo está diante de um dilema: Partir e estar com Cristo ou permanecer por mais tempo aqui na terra para trabalhar pelo evangelho.

Você já esteve diante de um dilema? Talvez sim. Imagine ficar diante de dois caminhos na sua frente e só pôde seguir um e fazer uma escolha.

Você recebeu duas boas propostas de trabalho e só pode escolher uma. Teve possibilidade de fazer dois bons cursos, mas só pode escolher um. Isso é um tipo de dilema.

Paulo não sabe o que vai escolher. Ele escreveu essas palavras da prisão e duas coisas podem lhe acontecer: ser liberto e continuar pregando o evangelho ou ser condenado à morte.

Paulo não está ansioso com o que vai lhe acontecer. Ele sabe que isso está nas mãos de Deus.

Ele também não está diante de uma escolha entre uma coisa boa e outra má, mas entre uma coisa boa (continuar anunciando o evangelho) e outra coisa ótima (partir e estar com Cristo).

Mas o alvo principal do texto não é mostrar o que Paulo deseja, mas o que o motiva a desejar uma coisa ou outra.

O Senhor nos chama a viver e morrer pela sua glória

Qual a principal preocupação do apóstolo Paulo? Por que ele desejava continuar na terra para servir a igreja? O que o motivava a partir e estar com Cristo?

Não é o seu interesse próprio, não é receber honra dos homens, não é simplesmente descansar de suas fadigas, mas GLORIFICAR O NOME DE CRISTO.

Seja posto em liberdade ou seja condenado à morte, o alvo de Paulo é engrandecer o nome de Cristo (v.20). Na vida ou na morte Paulo busca a glória de Cristo.

Ele não está preocupado simplesmente em viver ou morrer, mas em engrandecer a Cristo na vida ou na morte.

Por isso ele afirmou: “Para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro” (v.21).

O Viver do Crente é Cristo

No capítulo 1 de Fp. Paulo revela algumas razões que o deixam alegre apesar de estar preso:

Viver é Cristo Morrer é Lucro │ Filipenses 1: 21
Viver é Cristo Morrer é Lucro │ Filipenses 1: 21

A cooperação dos filipenses no evangelho (v.5); o fato de Cristo está sendo pregado (v.18); as súplicas dos filipenses por ele e o auxílio do Espírito em seu favor a fim de que ele não seja envergonhado, mas engrandeça a Cristo na vida ou na morte (v.19).

Vemos aqui que a principal alegria e paixão do apóstolo Paulo é engrandecer a Cristo.

A vida de Paulo agora é pra Cristo

Paulo sabe que a razão da sua existência é Cristo. Cristo o comprou e o lavou no seu sangue. Cristo o chamou para ser um pregador do evangelho.

Antes da sua conversão, Paulo perseguia Cristo e seus discípulos. Ele procurava viver pelas obras da lei.

Agora, salvo por Cristo, ele vive em Cristo e para Cristo e trabalha em prol do crescimento do reino de Deus. Seu alvo é engrandecer o nome de Cristo com a sua vida.

Neste texto ele diz: “Para mim o viver é Cristo…”. Paulo revela seu desejo pessoal de viver para Cristo e apresenta um contraste entre ele os pregadores que pregavam Cristo por inveja e discórdia (v.17).

O que Paulo quer dizer exatamente com a expressão “para mim o viver é Cristo”?

O que isso significa para mim? Como posso viver para Cristo? Na própria carta aos filipenses, encontramos o ensino do apóstolo Paulo sobre o que significa viver para Cristo:

O viver é Cristo para o crente quando ele vive de modo digno do evangelho (Fp. 1.27).

O evangelho nos aponta não só o perdão dos pecados em Cristo, mas também nos revela a nova vida que Deus quer que levemos para glorificar o seu nome.

Viver de modo digno do evangelho é deixar o pecado para trás, não se conformar com o mundo, mas imitar a Cristo e seguir seus mandamentos (Ef. 4.1,2).

Ser humilde e estar disposto a servir os outros é uma forma prática de viver para Cristo (Fp.2.1-5).

Paulo estava preso não porque cometeu algum crime, mas por causa da pregação do evangelho e pela causa de Cristo. Você já sofreu alguma vez por causa da sua fé em Cristo? Se sim, então, você está glorificando Cristo na sua vida.

O viver é Cristo para o crente quando ele ama a igreja de Cristo. Paulo amava as igrejas de Cristo e se preocupava com elas. Ele tinha um amor profundo pela igreja de Filipos.

Paulo fundou aquela igreja com seu trabalho missionário. Ele orava pelos irmãos filipenses (Fp. 1.9-11). Mesmo preso, encorajou os irmãos a serem alegres na fé (Fp. 4.4).

Ele desejava permanecer por mais tempo para ajudar os filipenses a progredir na fé (1. 25,26).

Por que Paulo amava a igreja?

Porque amava o Cabeça da igreja, Cristo. Quem ama Cristo ama a sua igreja e quer servir de qualquer modo para seu crescimento e edificação.

Se você diz que ama a Cristo e vive para ele, mas não mostra nenhum interesse pela edificação da igreja, se não usa seus dons, se não ora pela igreja, se não chora com as fraquezas da igreja, se não se alegra com suas bênçãos, se deixa de congregar com os santos, então, você está se enganando.

Vivemos para Cristo quando amamos a igreja dele.

Como Paulo engrandeceria Cristo com sua vida?

Através do seu empenho em trabalhar pelo crescimento da igreja e o progresso do evangelho.

A vida de Cristo foi para glorificar a Deus e em favor da sua igreja. Ele viveu e morreu por sua igreja. Paulo seguiu o mesmo caminho do Senhor.

E você? O que tem feito pela igreja? Vive para Cristo sendo um membro fiel da igreja dele?

O viver é Cristo para o crente quando ele confia em Cristo e depende dele pra tudo em sua vida (Fp. 4.12,13).

Quem tem Cristo na sua vida não entra em desespero diante das aflições do tempo presente. Ele pode até passar por dificuldades, mas em Cristo encontra forças para viver.

Cristo é o seu dono, o seu amigo, o seu refúgio, a sua suficiência, a certeza da sua vitória (Jo. 16.33).

Meu irmão! O seu viver é Cristo? Seu estilo de vida reflete a glória de Cristo? Cristo tem sido visto na sua vida (trabalho, escola, família)?

Não adianta nada apenas ter o nome de cristão ou ser membro da igreja. O que importa é viver para Cristo, engrandecer o seu nome, com nosso corpo, com nossos dons, com tudo que temos e somos.

Nisso consiste a razão da nossa existência. É bem aventurado quem vive para Cristo, pois além de cumprir o propósito da sua criação que é glorificar a Deus nesta vida, ele também terá a morte como um lucro. Isso nos leva ao segundo ponto.

O Morrer do Crente é Lucro

Paulo completa o nosso texto dizendo: “Para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro” (21).

Aqui nós temos duas verdades inseparáveis. Para quem o viver é Cristo, o morrer é lucro. Aqui nós tocamos num assunto que ninguém gosta de falar e muito menos pensar nele: o problema da morte.

O que é a morte?

A morte não é um fenômeno meramente natural. Mas é o castigo de Deus pelo pecado (Gn. 2.17; Hb. 9.27).

Ela faz parte da maldição que Deus pronunciou a Adão e a seus descendentes: “Tu és pó e ao pó tornarás” (Gn.3.19).

Esse texto fala da morte física que é a separação do corpo e da alma. Mas a Bíblia fala também de mais dois tipos de morte: morte espiritual – separação da presença de Deus por causa do pecado; morte eterna – condenação eterna no inferno.

Meus irmãos! A morte é uma realidade para todos e ninguém pode fugir dela, sejamos crianças e velhos, ricos e pobres, homens e mulheres, crentes e descrentes (Sl. 39.4-7; 90.10).

A questão não é que a morte é uma realidade, mas que tipo de atitude teremos diante dela.

Muitos temem a morte e assim evitam qualquer menção sobre ela. Os chineses, por exemplo, têm medo de que, mencionando a palavra morte, a estejam convidando!

Outros, por estarem cansados da vida, vão ao encontro da morte cometendo suicídio. Outros ficam desesperados quando a morte chega à sua casa.

E muitos vivem sem esperança quanto à vida após a morte e por isso vivem para si mesmos neste mundo: “Comamos e bebamos que amanhã morreremos! Morreu, acabou! Não há esperança!”.

O que a morte significa para nós verdadeiros cristãos?

Esse assunto que traz desespero para muitas pessoas e que ninguém gosta de conversar, é um assunto consolador para o povo de Deus.

A Bíblia está cheia de consolo para o crente quando o assunto é a hora da sua morte (ver Sl. 116.15; Ap.14.13; etc).

Nosso texto também traz consolo ao nosso coração quando o assunto é a morte.

O apóstolo Paulo escreveu: “Para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro” (Fp. 1.21). Essa é a confissão de fé de todo verdadeiro crente e uma fonte de consolo para todos nós que somos do Senhor.

A morte física não é o último estágio da vida do filho de Deus, mas é uma benção, uma vantagem, pois significa deixar esse mundo e todo o seu sofrimento para descansar nos braços de Cristo, o que é incomparavelmente melhor (Fp. 1.23; II Co. 5.8).

Quem vive para Cristo e morre em Cristo vai habitar com o Senhor. O que Cristo afirmou para o ladrão arrependido na cruz, vale para todo crente:

“Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso” (Lc. 23.43). A alma do crente não vai para o purgatório, também não fica dormindo até a volta de Cristo, mas vai para glória estar com o Senhor.

Por isso, podemos encontrar consolo quando um filho de Deus deixa essa vida por meio da morte.

É verdade que ficamos tristes com a partida e ausência de um ente querido que morreu no Senhor.

Mas essa tristeza é superada pela alegria de saber que ele estar com o Senhor e pela certeza de que um dia também nos encontraremos com ele e todos os santos na glória celestial.

Morrer é lucro, é uma benção pra você que está em Cristo. Por quê?

Porque partir e estar com Cristo é incomparavelmente melhor (v.23).

É muito melhor não simplesmente porque não haverá mais sofrimento ou luta contra o pecado, também não é só porque vai encontrar lá irmãos e amigos que aqui lhe deixaram, mas principalmente porque vamos estar com Cristo, na presença dele, para glorificá-lo.

É isso que motivava Paulo a desejar partir e almejar a glória: estar com o Senhor, desfrutar da sua presença, viver para louvá-lo por toda a eternidade.

Você não deve desejar o céu porque quer se livrar do sofrimento e da luta dessa vida, mas porque ama a Cristo e quer estar com ele para sempre.

Quem está em Cristo já não pertence ao reino da morte, mas esta é somente sua estrada para a realização plena da meta de sua existência: glorificar a Deus.

Que seja esse o desejo do seu coração: viver para Cristo e morrer para estar com ele. Não precisamos temer a morte ou ficar desesperado quando Deus levar um irmão amado do nosso meio.

Ele estará com Cristo e para lá também iremos. Cremos nisso, irmãos!

Quer vivamos ou morramos, somos do Senhor, pois pertencemos a ele corpo e alma e ele é o nosso único consolo na vida e na morte.

Ainda que andemos pelo vale da sombra da morte, o Senhor está conosco (Sl. 23.4). Nada neste mundo, nem mesmo a morte poderá nos separar do amor de Deus que está em Cristo (Rm. 9.38,39).

Morrer também é lucro pra quem não está em Cristo?

Por outro lado, se você não tem Cristo na sua vida e não vive para ele, a morte não será lucro para você.

Não há nenhuma vantagem em morrer sem Cristo, pois a morte física é a passagem final para a morte eterna na vida dos ímpios. Mas o Senhor tem uma boa notícia pra você.

Ele te chama a crer nele para ter vida agora e na eternidade.

Arrependa-se dos seus pecados enquanto há tempo. Busque o Senhor enquanto se pode achá-lo. Entregue-se a Cristo e confie Nele.

Eis a promessa de Jesus: “Eu sou a ressurreição e a vida; aquele que crê em mim, ainda que morra, viverá; e todo o que vive e crê em mim não morrerá eternamente. Crês nisto?” (Jo.11.25,26).

Creia e serás salvo agora e eternamente! Lembre-se viver é cristo, morrer é lucro. Amém.

Powered by Rock Convert

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!