O que é Purgatório Segundo a Bíblia? [Verdade Revelada]

Será que o purgatório é bíblico?

Não. A palavra “purgatório” não aparece na Bíblia.

Além disso, a Bíblia não fala que a alma dos que morreram é purificada no purgatório.

Vamos ver o que a Bíblia ensina sobre o pecado e a morte, e como isso prova que o purgatório não existe.

A fé no sangue de Jesus que purifica e não ficar num suposto purgatório

 A Bíblia diz que “o sangue de Jesus . . . nos purifica de todo pecado” e que “Jesus Cristo pelo seu sangue, nos libertou dos nossos pecados”. (1 João 1:7Apocalipse 1:5)

Jesus deu “sua vida em resgate” para pagar os nossos pecados. — Mateus 20:28.

As pessoas que morreram não sabem de mais nada

“Os vivos sabem que morrerão, mas os mortos nada sabem.” (Eclesiastes 9:5, Nova Versão Internacional)

Quem morre não sente mais dor. Por isso, ele não pode ser purificado pelo sofrimento de um suposto fogo do purgatório.

Depois da morte, não existe punição pelos pecados

A Bíblia diz que “o salário do pecado é a morte” e que “quem morreu está justificado do pecado”. (Romanos 6:7, 23) Quando a pessoa morre, ela paga completamente todos os seus pecados.

Vai para o céu ou inferno! Conforme ensina a Bíblia Sagrada. A proposito recomendo fortemente que apos esta leitura veja também o seguinte artigo: Morte Física, Morte Espiritual e Morte Eterna│O que a Bíblia Realmente Ensina?

Qual a origem dessa crença e como surgiu essa ideia de purgatório?

Desde o século II, alguns cristãos rezavam pelos falecidos, visitando os túmulos dos mártires para rezar pelos que morreram crendo erroneamente que os falecidos estão em um chamado purgatório e necessitam de oração e intercessão para serem purificados.

No século V, a Igreja dedicava um dia do ano para rezar por todos os mortos, pelos quais ninguém rezava ou se quer lembrava.

O estabelecimento de um dia específico para que os católicos se dedicassem, especialmente à oração pelos mortos, tem origem em 998.

Foi introduzido por Santo Odilon, ou Odílio, que era abade de Cluny, na França, um dos maiores mosteiros da época.

Ele determinou que os monges rezassem por todos os mortos, conhecidos e desconhecidos, religiosos ou leigos, de todos os lugares e de todos os tempos.

Existe base bíblica para se crer no purgatório, e na oração pelos mortos?

Não existe base bíblica para acreditarmos em purgatório, nem na oração aos mortos. Muito embora, podemos encontrar alguns resquícios dessas crenças em livros apócrifos (“da bíblia católica”), especialmente em 2 Macabeus.

Porém, a Bíblia fala apenas de dois lugares: céu e inferno. Jesus ensinou a existência de apenas dois lugares. Falou do céu em Jo 14.2-3 e falou do inferno em Mt 25.41.

No livro de Hebreus se lê: “E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo” Hebreus 9:27

Com esta declaração, fica claro que uma vez morto, não há um lugar intermediário com possibilidade de salvação.

Tudo o que tiver de ser feito, tem que ser feito enquanto vive, porque enquanto existir vida, haverá esperança.

Fora isso segue-se o juízo. Na parábola do rico e Lazaro, Jesus disse sobre a situação dos mortos, deixando claro que existem dois destinos: lugar de sofrimento e lugar de descanso. Lucas 16:20-31.

E nesta passagem, podemos extrair pelo menos quatro ensinos de Jesus:

  • a) existe consciência após a morte (o que torna o sofrimento ainda maior)
  • b) existe sofrimento e existe descanso
  • c) os mortos não se comunicam com os vivos
  • d) a situação dos mortos não permite mudança. Cada qual ficará no lugar da sua escolha em vida. Os que morrem no Senhor gozarão da vida eterna (Ap 14.13) e os que escolheram viver fora do propósito de Deus, os que escolheram o caminho largo irão para o lugar de tormento eterno.

Em atos lemos:

“E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos”. Atos 4:12

Jesus é a porta e em nenhum outro há salvação, e só passamos por essa porta em vida. Não existe outro meio de sermos salvos.

O ‘purgatório’ e a oração pelos mortos não tem poder nenhum de salva-los pois, só pela graça mediante a fé, isso é possível.

Em Cristo, entendemos que o processo de salvação se dá enquanto caminhamos aqui na terra, no dia chamado hoje. Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais os vossos corações.

(Porque diz: Ouvi-te em tempo aceitável e socorri-te no dia da salvação; eis aqui agora o tempo aceitável, eis aqui agora o dia da salvação). 2 Coríntios 6:2

Esta palavra nos chama atenção para a seriedade do chamado de Jesus em nossas vidas, do qual jamais podemos deixar para depois. O dia é hoje, a oportunidade está no agora e o amanhã não nos pertence.

Podemos dizer que para aquele que morreu sem Cristo, a porta da salvação se fechou para ele. Não existe base bíblica para justificar a prática do purgatório e oração pelos mortos .

A palavra de Deus nos ensina a orar pelos vivos: “Confessai as vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros, para que sejam curados. A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos”.

O apostolo Tiago dirigiu esta palavra aos vivos, e não aos mortos. De modo que, não encontramos em nenhum lugar da bíblia, um verso sequer, ensinado a orar pelos mortos ou aprovando esta prática.

Leia também: A salvação não é individual, você sabe porque?

Salvação somente pela graça

“Mas se é por graça, já não é pelas obras; de outra maneira, a graça já não é graça. Se, porém, é pelas obras, já não é mais graça; de outra maneira a obra já não é obra”Romanos 11:6

Vamos supor que fosse possível, através do purgatorio, alguém que morreu sem Cristo ser salvo. Haveria algumas implicações com relação à salvação:

Se pelas obras (oração aos mortos por exemplo) podemos ser salvos, a graça já não é graça. Mas se somos salvos só pela graça, como poderia alguém se salvar pelas obras?

Assim, dizer que oração aos mortos surte algum efeito para salvação, é o mesmo que anular a o sacrifício de Jesus.

Nós, os que cremos nos ensinos de Jesus, não devemos adotar tais práticas, pois, sabemos que após a morte segue-se o juízo.

Mas se para um irmão, o dia 2 de novembro tem algum significado nesse sentido, que seja tão somente para recordar os bons momentos que passou com entes queridos, quando ainda estavam em vida. O que passar disso é engano.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!