Quem escreveu o livro de Hebreus?

Diferentemente de todas as outras cartas do novo testamento, quem escreveu o livro de Hebreus não estava preocupado em se identificar. Aprendemos mais sobre o autor dessa carta nos versículos finais, do que no início dela.

Muitas hipóteses tem sido dada em relação a autoria do livro de Hebreus.

Alguns cristãos e estudiosos acreditam que foi o apóstolo Paulo quem a escreveu. Nos próximos parágrafos iremos discutir sobre possíveis autores e o objetivo da carta.

Hipóteses sobre quem escreveu o livro de Hebreus

Desde o II século a pegunta quem escreveu o livro de Hebreus vem sendo feita e debatida entre estudiosos.

Todavia, até hoje ninguém pôde afirmar a autoria desse livro, pois nele não existe nenhum indício autobiográfico suficiente.

A tradição da igreja primitiva manifestava-se com incertezas quanto à autoria dessa carta anônima. Ainda assim, em data bastante recuada, a carta aos Hebreus já era conhecida e usada.

Diante desse mistério, algumas conjecturas sobre possíveis autores foram levantadas na tentativa de preencher essa lacuna. Vamos analisar algumas dessas hipóteses agora.

Paulo como autor de Hebreus

Paulo é aceito entre muitos cristãos e estudiosos, como mais provável autor dessa epístola. Uma característica peculiar pode explicar o motivo de acharem que quem escreveu o livro de Hebreus tenha sido ele.

A teologia de Hebreus se assemelha às de Paulo quando se compara a preexistência e a posição de Cristo como criador.

Ambos falam da humilhação, nova aliança e distribuição dos dons espirituais com o mesmo trato.

Outra curiosidade está em Hebreus 13:25, onde o autor dá saudações finais muito semelhantes às do apóstolo Paulo.

No entanto, esses fatores não são suficientes para provar Paulo como autor da epístola.

Por dúvidas quanto à autoria, a igreja ocidental a princípio até excluiu o livro de Hebreus do cânon, e havia bons motivos para isso. Nenhuma das cartas reconhecidamente paulinas é anônima como a de Hebreus.

As cartas de Paulo sempre começam com saudações e apresentam uma forma mais direta na escrita. Isso difere radicalmente do polido estilo grego de Hebreus.

Além do mais, o autor dessa carta apelava para a autoridade de outros (Hb 2.3), enquanto Paulo constantemente apelava para sua própria autoridade apostólica. Portanto, não podemos afirmar que Paulo escreveu essa carta.

Barnabé como autor de Hebreus

Outros estudiosos apresentam como hipótese Barnabé, cujo seu passado como levita se harmoniza com o interesse pelas funções sacerdotais manifestada em todo o livro aos Hebreus.

Também, sua associação com Paulo poderia explicar as semelhanças com a teologia paulina. Mas, por ter sido residente em Jerusalém, é possível que Barnabé tenha visto e ouvido a Jesus.

Essa possibilidade já o exclui da lista, um vez que o autor da carta se inclui entre aqueles que dependiam do testemunho ocular de outras pessoas.

Apolo como autor de Hebreus

Por ter familiaridade com Paulo e haver sido instruído por Priscila e Áquila, Apolo foi apontado como autor da carta até por Martinho Lutero.

Essa ligação com Paulo, Priscila e Áquila poderia justificar a semelhança com a teologia paulina que se vê em Hebreus.

Além disso, a eloquência de Apolo poderia ter contribuído para o refinado estilo literário da carta.

Até mesmo seus antecedentes alexandrinos se ajustam ao uso exclusivo que Hebreus faz da Septuaginta.

Uma vez que a Septuaginta foi produzida em Alexandria. Apesar desses fatos, a ausência de tradições antigas a favor de Apolo deixa dúvidas sobre sua autoria.

Lucas como autor de Hebreus

Por ter sido outro companheiro de Paulo, Lucas também poderia ser a reposta de quem escreveu o livro de Hebreus.

Também considerando o estilo da escrita num grego culto e polido de Hebreus, que se assemelha ao de Lucas-Atos.

Porém, Lucas-Atos reveste-se de uma perspectiva tipicamente gentílica, ao passo que o livro aos Hebreus manifesta-se altamente judaico.

Pricila como autora de Hebreus

Esta foi apresentada pelo teólogo Alemão, Adolf Harnack, como uma possibilidade de autoria. Isso em virtude do contato próximo dela com Paulo e por haver ensinado a Apolo.

Harnack defendeu que ela escrevera a obra no anonimato, pelo fato de as autorias femininas não serem aceitáveis pelo público. O que torna essa, uma possibilidade plausível.

Clemente como autor de Hebreus

Clemente de Roma entra nessa lista, pelo fato de haver uma semelhança entre Hebreus e Clemente. Todavia, basta uma observação mais acurada para perceber as diferenças.

O mais provável é que Clemente tenha se utilizado da carta aos Hebreus como auxílio na composição de seus escritos, e nada mais.

Silvano como autor de Hebreus

Há hipótese de que Silvano (Silas), companheiro de Paulo, tenha escrito a carta. Essa suposição também nasce das semelhanças com a teologia paulina encontrada em Hebreus.

Além disso não há mais o que dizer a favor de Silvano, como sendo o autor do livro. O mesmo vale para a hipótese de que Felipe teria sido o autor da carta.

O que sabemos sobre quem escreveu o livro de Hebreus?

Não sabemos quem de fato tenha sido o autor da carta, mas há uma chance de que ele era muito próximo de Paulo. De qualquer forma, era alguém muito versado no antigo testamento.

  • Era uma pessoa muito culta e possuía um estilo literário muito refinado
  • Conhecia muito o Antigo Testamento e a cultura judaica
  • Não era uma testemunha ocular de Cristo
  • Cria no evangelho e reconhecia a superioridade de Cristo
  • Provavelmente conhecia Paulo, uma vez que conheceu Timóteo pessoalmente (Hb 13.23)

Essas peculiaridades permitem sabermos que o autor da carta era alguém participante da comunidade cristã.

O fato dele mencionar Timóteo como um irmão na fé é suficiente para nos convencer disso.

Ele cogita até uma possível visita aos Hebreus, juntamente com Timóteo após sua chegada. No entanto, todos esses detalhes já citados aqui, não nos revelam a autoria da carata.

Conclusão

Provavelmente nunca iremos saber quem escreveu o livro de Hebreus, a menos que algum achado arqueológico futuro revele sua identidade. Contudo, a veracidade do que está escrito em Hebreus é irrefutável.

Eu termino este assunto citando o que Orígenes escreveu. “se eu fosse emitir minha opinião, deveria dizer que os pensamentos são do apóstolo [Paulo], mas o estilo e a fraseologia são de alguém que lembrava os ensinos do apóstolo e escreveu a seu bel-prazer o que tinha sido dito por seu mestre. […] Mas quem escreveu a carta…bem, Deus sabe a verdade”. (Orígenes, de acordo co Eusébio, História da igreja 6.25.13).


O que acha de estudar teologia à distância sem mensalidades? Estude no conforto de sua casa, com vídeo-aulas através do seu computador, tablet ou celular. Saiba Mais Aqui.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!