A cura do servo do centurião de Cafarnaum é como um tapa na cara dado por Jesus a todos os judeus que O rodeiam.

A Cura do Servo do Centurião de Cafarnaum

Este centurião era um oficial do exército romano, consequentemente, um representante das autoridades.

Do ponto de vista religioso, ele era um pagão comum, ou seja, uma pessoa com quem os judeus não eram apenas desencorajados, mas estritamente proibidos de conversar.

E assim, esse oficial romano, um inimigo do povo judeu em todos os aspectos, chega a Cristo pedindo que Ele cure seu servo.

Vemos frequentemente no Evangelho que a cura ocorre quando Cristo entra em contato com a pessoa que está sendo curada – seja pela imposição das mãos ou por outros meios, por exemplo, pela unção dos olhos, como ocorreu no caso da cura do cego de jericó.

No entanto, aqui a situação é completamente diferente. Mostrando respeito à Cristo Jesus, o centurião diz:

‘Senhor, não sou digno de que entres debaixo do meu telhado, mas dize somente uma palavra, e o meu servo há de sarar.’ (Mateus 8: 8)

O Salvador fica surpreso ao ouvir a declaração do centurião, porque Ele não encontrou fé tão grande quanto esta em todo o Israel. 

7 lições que aprendemos com a cura do servo do centurião de Cafarnaum

No artigo de hoje vamos abordar 7 lições que a passagem da cura do servo do centurião tem a nos ensinar sobre fé, amizade, confiança, humildade e conhecimento. Vem comigo:

A Cura do Servo do Centurião

1. O Centurião amou a vida de seu Servo

Infelizmente, hoje isso é raro: Pessoas em elevada posição que se preocupam com quem está abaixo de si.

É muito triste ver pessoas de ‘poder’ utilizando dessa autoridade para pisar nos mais humildes e menos favorecidos.

Caso você seja ou venha a se tornar alguém de elevada posição seja social ou profissional, aprenda com o centurião de Cafarnaum a dar mais atenção e amar a quem lhe serve.

Fazendo assim, essa pessoa continuará a lhe servir cada dia melhor.

2. O Centurião não era orgulhoso por sua posição social

Uma grande verdade é que nos dias de hoje as pessoas ainda gostam de mostrar sua posição acima dos outros.

É o caso clássico do “você sabe com quem está falando?”

Nossa sociedade apresenta sinais claros de que está enferma, e esse é um dos evidentes sintomas.

O centurião nos ensina, através de seu exemplo, a não deixar seu caráter ser contaminado por sua posição social.

3. O Centurião soube diferenciar poder de autoridade

Apesar de ser bastante fácil de definir o que é autoridade e o que é poder, esse ainda é um erro banal e muito repetido, inclusive no meio cristão.

A melhor forma de demonstrar o que é um e outro é utilizando um bom exemplo:

Pense em um guarda de trânsito, fardado e de apito na mão.

Ele vê um pedestre querendo atravessar a faixa, mas os carros não lhe dão a vez, então ele se posiciona, aponta para os carros em movimento e faz soar seu apito em alto e bom som.

O que acontece? Os carros param: carros pequenos, motos, carros maiores e até mesmo caminhões e ônibus cheios. Por que param?

Porque o guarda tem autoridade e os motoristas o respeitam. Mas, o guarda tem poder para parar os carros? Não.

Entendeu a diferença entre autoridade e poder?

O centurião tinha autoridade do império romano para dar ordens e manter a ordem, mas não tinha o poder que precisava para a cura de seu servo.

4 . Temos que aprender a liderar como o Centurião de Cafarnaum

As palavras do centurião de Cafarnaum nos mostra que ele era um homem decidido e um líder confiante.

Tanto ele era confiante que seus subordinados o obedeciam: ‘eu digo a este: Vai, e ele vai; e a outro: Vem, e ele vem; e ao meu criado: Faze isto, e ele o faz.’ (Mateus 8: 9)

Quando você é liderado por alguém que exerce sua liderança de forma confiante e convicta, obedecê-lo não é um fardo, mas um prazer.

Dura coisa é seguir alguém que não sabe para onde vai…

Outra coisa importante sobre autoridade: o oficial romano exercia a autoridade em nome de outro, o imperador.

E isso ensina a nós, cristãos de verdade, que exercemos autoridade no nome de Jesus, mas o poder ainda é dEle, e não nosso.

Você, que é líder de ministério, aprenda isso e exerça a autoridade que Deus lhe deu de forma a honrar Aquele que detém todo o poder, e confiou em você para exercê-lo em Seu nome.

Dessa forma, você nunca perderá Sua autoridade.

5. O Centurião sabia que Jesus tinha um poder sobrenatural

Isso é algo que me chama a atenção: um gentio que, na teoria, desconhecia o poder de Deus manifesto em Jesus, não tinha qualquer dúvida sobre a capacidade sobrenatural do Senhor em realizar milagres.

Por sinal, uma coisa que os fariseus (“santos”) os “mestres da Lei’ viviam tentando desacreditar e distorcer: o poder sobrenatural de Jesus.

Infelizmente, esse é o tipo de coisa que ainda vemos acontecer: crentes duvidando do poder de Deus, de Ele realizar um milagre em nossas vidas, enquanto pessoas que não conhecem o Senhor como nós conhecemos, não duvidam que Ele pode realizar algo miraculoso e mudar o quadro de suas vidas.

Essa é uma dura lição que nós, cristãos, aprendemos com o centurião: confiar mais no Senhor e crer que o milagre vai acontecer.

E você, faz como o centurião e também crê que o impossível Ele pode fazer em sua vida?

6. Para o Centurião bastava uma palavra de Jesus para mudar tudo

Essa é consequência natural de crer no poder de Deus para mudar situações.

O centurião de Cafarnaum demonstrou um tipo de fé singular, uma fé capaz de fazer tremer o pior dos demônios e de impactar o crente mais fiel.

Ele mostrou a fé como ela deve ser, uma fé que, na maioria das vezes, temos medo de exercer, de colocar em prática.

Nós, cristãos, somos impactados e desafiados pelo exemplo do centurião a crer que UMA palavra do Senhor pode mudar tudo.

Quantas vezes somos testados em nossa fé, e achamos que a situação está perdida?

Nesses momentos, corremos aos pés de Jesus e pedimos que Deus reverta o quadro, esperando que Ele nos responda e nos dê o alento para seguirmos em frente.

Mas, vai passando o tempo, as coisas não mudam ou, pior: pioram, e nossa fé e confiança vão esmorecendo.

E se nós usássemos e ousássemos exercer a mesma fé do centurião, o que aconteceria?

Centurião de Cafarnaum

A Cura do Servo do Centurião de Cafarnaum, conclusão:

O centurião de Cafarnaum, ao contrário da maioria de nós, que quando ouve uma palavra da parte do Senhor, vai embora crendo que Cristo vai resolver a situação.

Ele acreditava que a palavra do Senhor era poderosa e eficaz ANTES de Jesus proferi-la! Isso é que é fé! Bota fé nisso!

Eai? você, aprendeu as lições do centurião de Cafarnaum? Que tal, agora, acreditar que o Senhor tem poder para fazer o milagre e esperar que esse milagre aconteça de verdade?

Powered by Rock Convert

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!