A Noiva de Cristo é um símbolo e uma metáfora usada ​​nas Escrituras para descrever o relacionamento de Deus com sua amada noiva, a igreja. 

A Igreja é a noiva de Cristo - o que isso significa?
A Igreja é a noiva de Cristo – o que isso significa?

Retratado como o noivo nesse relacionamento, Jesus se revela fiel, amoroso e comprometido com uma união de aliança com sua igreja, composta por todos os que crêem em Jesus Cristo e aceitaram Sua graça expiatória e dom de salvação.

Deus é fiel: seu relacionamento de aliança no Antigo Testamento

No Antigo Testamento, Deus foi o primeiro a iniciar um relacionamento com Seu povo, os filhos de Israel. 

Um convênio foi estabelecido com Abraão (Gênesis 15 , 17), confirmado por meio de seu filho Isaque (Gênesis 26: 3), e reafirmado através do filho de Isaque, Jacó (renomeado Israel).

Como parte deste contrato, Deus concordou em ser fiel e prometeu separar a nação de Israel como Seu povo santo. 

Ao fazer isso, eles foram instruídos a consagrar-se ao Senhor e servi-Lo somente (Deuteronômio 6:13).

O povo de Israel, no entanto, freqüentemente quebrava seus votos e abandonava o contrato com Deus para servir a outros deuses e perseguir seus próprios interesses. 

Mas em toda traição, Deus permaneceu fiel e nunca quebrou Sua promessa a Israel.

  • Saiba, portanto, que o Senhor, é Deus, o Deus fiel, que guarda a aliança e a benignidade até uma milésima geração com aqueles que O amam e guardam os Seus mandamentos” (Deuteronômio 7: 9).
  • “O próprio SENHOR vai adiante de ti e estará contigo; ele nunca deixará você e nem o abandonará. Não tenha medo; não desanime ” (Deuteronômio 31: 8).
  • “Sua fidelidade continua por todas as gerações; você estabeleceu a terra, e ela permanece” (Salmos 119: 90).
  • “As benignidades do Senhor nunca cessam, pois Sua compaixão nunca falha. Grande é a tua fidelidade” (Lamentações 3: 22-23).

Oséias e Gomer: um retrato da fidelidade de Deus

Deus até usou a vida e o casamento de seu profeta Oséias para transmitir uma mensagem poderosa ao povo a respeito de sua infidelidade. 

Como a esposa de Oséias, Gomer, foi infiel ao marido, retornando a uma vida de prostituição, assim também Deus se sentiu traído pela infidelidade de Israel (Oséias 1).

Este, no entanto, não foi o fim da história ou relacionamento. Nesta história de amor, Deus prometeu que, se Seu povo retornasse a Ele, Ele seria fiel em sempre perdoá-los e recebê-los de volta em Seus braços amorosos.

  • Provérbios 86: 5
  • Joel 2:13
  • Oséias 14: 4
  • Zacarias 1: 3
  • Jeremias 24: 7
  • Neemias 1: 9
  • Ezequiel 16: 8-14

Portanto, mesmo que Jesus Cristo, o Messias, ainda não tivesse chegado para redimir a Terra, Deus já estava usando o simbolismo de um casamento e relacionamento com desfeitos para se comunicar com Seu povo, a quem Ele amava.

Ao longo da narrativa bíblica, Deus perseguiu Seu povo com uma paixão incansável e fez o que Ele tinha que fazer para reconquistá-los. 

O pecado pode ter arruinado qualquer chance de intimidade com o Pai, mas Deus tinha um plano de redenção e um meio de restaurar um relacionamento quebrado.

A igreja é a noiva de Cristo

Como está escrito no evangelho de João, “porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho único, para que todo aquele que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3:16).

Com a vida de Cristo, a morte na cruz e a ressurreição, Jesus se tornou a personificação viva do noivo e de um marido fiel que estava disposto a desistir de Sua vida por quem amava.

Como está escrito em 2 Coríntios 11:2: “Estou zeloso de vós com zelo de Deus; porque vos tenho preparado para vos apresentar como uma virgem pura a um marido, a saber, a Cristo”.

Através do sacrifício de Cristo, a intimidade com o Pai pode ser restaurada e os pecados perdoados. Pela expiação de Cristo, somos apresentados a Deus com a pureza de uma virgem no dia do casamento. 

Enquanto o relacionamento da aliança de Deus com os israelitas permaneceu, por meio de Seu filho, Ele formou uma nova aliança com todos os que criam em Jesus Cristo e se rendiam ao seu senhorio. 

Aqueles que acreditam são chamados de igreja. E como Cristo prometeu ser fiel à igreja, Ele descreveu Suas expectativas para o relacionamento da igreja como Sua noiva.

No livro de Efésios, Paulo escreve: ‘Sujeitando-vos uns aos outros no temor de Deus. Vós, mulheres, sujeitai-vos a vossos maridos, como ao Senhor; Porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja… (Efésios 5:21-24)’.

Essa passagem naturalmente se aplica ao relacionamento entre marido e mulher, mas também se estende ao relacionamento entre a igreja (a noiva) e Cristo (o noivo). 

A igreja deve se submeter à autoridade de Jesus Cristo e se render ao seu senhorio. Além disso, os maridos são chamados a amar suas esposas.

A noiva de Cristo aguarda a reunião prometida

As escrituras também prometem uma reunião final entre Jesus Cristo e Sua noiva, a igreja. 

Quando Cristo voltar na Segunda Vinda profetizada, Ele celebrará com Sua noiva em uma cerimônia de casamento onde os dois se unirão para sempre.

Vamos nos alegrar e dar-lhe glória! Pois chegou a hora do casamento do Cordeiro, e a sua noiva já se aprontou. Foi-lhe dado para vestir-se linho fino, brilhante e puro”. O linho fino são os atos justos dos santos. (Apocalipse 19:7,8)

Até então, os membros da igreja são encorajados a serem fiéis e estarem prontos, aguardando antecipadamente o dia glorioso em que se unirão a Jesus Cristo e viverão em harmonia com Ele como Sua amada noiva (Mateus 25: 1-13).

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!