Frutos bons e maus: O que é segundo a bíblia

A bíblia é uma fonte de sabedoria e orientação para milhões de pessoas ao redor do mundo. Ela contém ensinamentos valiosos sobre diversos aspectos da vida, incluindo a natureza dos frutos bons e maus. Neste glossário, exploraremos o que a bíblia nos ensina sobre esses frutos e como eles podem impactar nossas vidas. Vamos mergulhar nessa jornada de descoberta espiritual e aprender mais sobre os frutos que devemos buscar e os que devemos evitar.

O fruto do Espírito Santo

Um dos conceitos mais importantes relacionados aos frutos bons é o “fruto do Espírito Santo”. De acordo com a bíblia, o Espírito Santo habita em todos os crentes e produz em suas vidas nove características distintas: amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Esses frutos são considerados bons porque refletem a natureza de Deus e são essenciais para uma vida cristã saudável.

O fruto da carne

Por outro lado, a bíblia também fala sobre os frutos maus, conhecidos como “fruto da carne”. Esses frutos são as características negativas que podem surgir quando nos afastamos de Deus e seguimos nossos próprios desejos egoístas. Alguns exemplos desses frutos são: imoralidade sexual, impureza, idolatria, ódio, discórdia, ciúme, ira, egoísmo, dissensões, facções e inveja. Esses frutos são prejudiciais para nós mesmos e para os outros ao nosso redor.

A importância de escolher os frutos bons

A bíblia nos ensina que devemos buscar e cultivar os frutos bons em nossas vidas. Esses frutos nos tornam mais semelhantes a Cristo e nos ajudam a viver de acordo com os princípios divinos. Além disso, quando exibimos os frutos do Espírito Santo, somos capazes de influenciar positivamente aqueles ao nosso redor e testemunhar o amor de Deus em ação. Portanto, é essencial que escolhamos conscientemente os frutos bons e nos esforcemos para desenvolvê-los em nossas vidas.

Os perigos dos frutos maus

Por outro lado, os frutos maus podem ter consequências negativas em nossas vidas. Quando nos entregamos aos desejos da carne e permitimos que esses frutos se manifestem em nossas ações e atitudes, podemos experimentar conflitos, dor emocional e separação de Deus. Além disso, os frutos maus também podem prejudicar nossos relacionamentos com os outros e minar nossa influência positiva. Portanto, é importante reconhecer os perigos desses frutos e evitá-los a todo custo.

Como cultivar os frutos bons

A bíblia nos oferece orientações claras sobre como cultivar os frutos bons em nossas vidas. Primeiramente, devemos nos submeter ao Espírito Santo e permitir que Ele trabalhe em nós. Isso envolve buscar um relacionamento íntimo com Deus, através da oração, leitura da bíblia e comunhão com outros crentes. Além disso, devemos estar dispostos a abandonar nossos próprios desejos egoístas e permitir que o Espírito Santo nos transforme de dentro para fora. À medida que nos rendemos a Ele, os frutos bons começam a florescer em nossas vidas.

A importância da disciplina espiritual

Cultivar os frutos bons requer disciplina espiritual. Isso significa que devemos estar dispostos a renunciar às tentações e escolher fazer o que é certo, mesmo quando é difícil. A disciplina espiritual envolve autocontrole, perseverança e uma busca constante pela vontade de Deus. À medida que nos esforçamos para desenvolver os frutos bons em nossas vidas, é importante lembrar que isso não acontece da noite para o dia. É um processo contínuo que requer paciência, fé e confiança em Deus.

O exemplo de Jesus Cristo

Quando olhamos para a vida de Jesus Cristo, vemos o exemplo perfeito de alguém que exibiu os frutos bons em sua vida. Ele amou incondicionalmente, trouxe alegria aos corações das pessoas, promoveu a paz, foi paciente com os pecadores, demonstrou bondade e compaixão, foi fiel ao Pai, foi manso e humilde, e teve domínio próprio mesmo diante das adversidades. Jesus é o modelo supremo de como devemos viver e os frutos que devemos buscar em nossas próprias vidas.

A importância da escolha diária

A escolha de buscar e cultivar os frutos bons é uma decisão diária que devemos tomar. Todos os dias, somos confrontados com situações que nos desafiam a escolher entre os frutos do Espírito Santo e os frutos da carne. É importante lembrar que cada escolha que fazemos tem consequências e impacta nossa jornada espiritual. Portanto, devemos estar vigilantes e conscientes de nossas escolhas, buscando constantemente a orientação de Deus para tomar decisões que nos levem a produzir os frutos bons em nossas vidas.

A graça de Deus e o perdão

Embora todos nós sejamos propensos a falhar e produzir os frutos maus em algum momento, a bíblia nos lembra da graça de Deus e do perdão que Ele oferece. Quando nos arrependemos de nossos pecados e buscamos o perdão de Deus, Ele nos restaura e nos dá uma nova oportunidade de cultivar os frutos bons em nossas vidas. A graça de Deus é um lembrete constante de que não estamos sozinhos nessa jornada espiritual e que Ele está sempre disposto a nos ajudar a crescer e amadurecer em nossa fé.

O impacto dos frutos bons na sociedade

Quando os crentes cultivam os frutos bons em suas vidas, eles têm o potencial de impactar positivamente a sociedade ao seu redor. Os frutos do Espírito Santo, como amor, paz e bondade, são contagiosos e podem influenciar outras pessoas a buscar uma vida de retidão e santidade. Além disso, quando vivemos de acordo com os princípios divinos, somos capazes de trazer cura, restauração e reconciliação em um mundo que muitas vezes está cheio de ódio, divisão e conflito. Portanto, é importante reconhecer o poder dos frutos bons e buscar ativamente cultivá-los em nossas vidas para fazer a diferença em nosso mundo.

A recompensa dos frutos bons

Por fim, a bíblia nos assegura que aqueles que buscam e cultivam os frutos bons serão recompensados. Embora a recompensa final seja a vida eterna com Deus, também podemos experimentar alegria, paz e satisfação em nossas vidas terrenas quando vivemos de acordo com os princípios divinos. Além disso, os frutos bons também nos permitem desfrutar de relacionamentos saudáveis e significativos com os outros, pois somos capazes de amar, perdoar e servir uns aos outros de maneira genuína. Portanto, a busca pelos frutos bons não é apenas uma obrigação, mas também uma fonte de bênçãos e satisfação em nossas vidas.

Conclusão

Em resumo, a bíblia nos ensina que existem frutos bons e maus e que devemos buscar e cultivar os frutos bons em nossas vidas. Os frutos do Espírito Santo refletem a natureza de Deus e são essenciais para uma vida cristã saudável, enquanto os frutos da carne são prejudiciais e devem ser evitados. Cultivar os frutos bons requer disciplina espiritual, escolhas diárias e a busca constante pela orientação de Deus. No entanto, quando escolhemos os frutos bons, somos capazes de impactar positivamente a sociedade ao nosso redor e desfrutar das recompensas que vêm com uma vida em conformidade com os princípios divinos. Que possamos buscar e cultivar os frutos bons em nossas vidas, para a glória de Deus e para o bem de todos.