Flash Sale! to get a free eCookbook with our top 25 recipes.

Estudo bíblico do livro de Números

Entenda melhor o livro de Números, o quarto livro da Torá, na minha opinião, o mais difícil de todos eles.
Continua após a publicidade

O livro dos números não é nada menos do que o quarto livro da bíblia e do pentateuco. 

Se você quer se aprofundar no estudo do livro de Números já pega seu papel e caneta pois o panorama bíblico de hoje está excelente!

Este livro é responsável por levar adiante a história de Israel após o êxodo da escravidão no Egito.

Vemos nos livros anteriores ao de Números que Deus trouxe o povo para o monte Sinai e fez uma aliança com eles.

O Senhor graciosamente providenciou um caminho para Israel viver perto de sua santa presença no tabernáculo!

Quem escreveu o livro de Números?

Quem escreveu o livro de Números?

Podemos afirmar sem medo de errar que o livro de Números foi escrito por Moisés. Também sabemos que o livro foi escrito por volta do ano 1.445 a.C.

Neste livro Moisés começa com uma linguagem quase jurista elaborando um senso justo, posicionando e organizando os sacerdotes e as tribos em ordem.

Aqui cabe uma observação, deve-se notar que existe uma distinção entre os sacerdotes e os Levitas!

Segundo Moisés os sacerdotes eram membros da Tribo de Levi que descendiam de Arão e seus filhos (deveriam ser filhos legítimos), estes eram encarregados das funções sacerdotais.

Já os restantes dos membros da tribo de levi eram os levitas que foram dados como auxiliares dos sacerdotes para cuidar do Tabernáculo, seus móveis e utensílios.

Concluímos que todos os sacerdotes eram Levitas porém nem todos os Levitas eram sacerdotes.

Estudo dos pontos principais do livro de Números:

Assim começa o livro de números: com o povo de Deus saindo do monte Sinai e partindo para o deserto a caminho da terra que Deus prometeu a Abraão.

O enredo do livro é projetado de acordo com os estágios da sua jornada, e, podemos separar seu conteúdo em 4 fases principais.

A saída do Monte Sinai para o deserto.

Podemos acompanhar nessa primeira parte do conteúdo do livro de números que o líder Moisés, inspirado por Deus, cria leis enumerando e organizando as tribos de Israel.

Segundo essas leis, o tabernáculo deveria estar no centro de todo o povo!

Em volta dele deveriam estar primeiramente os sacerdotes e os levitas. Logo depois as 12 tribos organizadas com Judá a frente.

Essa passagem traz profeticamente a mensagem de que a presença santa de Deus sempre deve estar no centro de toda nossa vida.

Posteriormente, Moisés segue destacando uma série de leis que se desenvolveram das leis de pureza do livro de levítico.

Pois se a presença de Deus estivesse entre eles todo o esforço deveria ser feito para que toda a nação se mantivesse pura e pudesse acolher a santidade do Senhor.

No capítulo 10 do livro de números a nuvem que simbolizava a presença de Deus se elevou do tabernáculo e guiou os israelitas para longe do Sinai e dentro do deserto.

Após isso, quase que imediatamente as coisas deram terrivelmente erradas!

Logo no capítulo seguinte o povo começa a reclamar sobre a sua fome e sede. Lemos que novamente os israelitas murmuram e dizem que querem voltar para o Egito.

O problema é tão sério que os próprios irmãos de Moisés começam a se opor e falar mal dele perante o povo.

Moises envia 12 espias.

A grande peregrinação se inicia quando os israelitas chegam ao deserto de Parã e Deus orienta Moisés à enviar 12 espiões (sendo 1 de cada tribo) para que eles possam espiar a terra prometida.

Posteriormente, quando todos os espiões retornaram╶ 10 deles disseram que não havia chance alguma de Israel sobreviver naquela terra porque os cananeus os destruiriam.

Porém, há 2 espiões (Calebe e Josué) que disseram que Deus poderia salvá-los e garantir a vitória e conquista da terra!

Mas não podemos negar que os 10 são maioria e por isso acabam levando as pessoas a uma fúria medonha contra o líder Moisés.

Então os israelitas começam a planejar algo terrível: eles querem nomear um novo líder e voltar para a escravidão… Consequentemente, Deus fica irritado e Moisés novamente intercede em favor do seu povo.

Deus perdoa outra vez a incredulidade da nação, mas o Senhor dá aos israelitas o que eles querem: não entrar na terra prometida!

O Eterno condena aquela geração a peregrinar no deserto por 40 anos até que morram. Deste modo somente os seus filhos entraram na terra da promessa.

Moisés desobedece a Deus e bate na rocha.

À medida que o povo sai da região de Parã e pega a estrada tudo cai no fundo do poço outra vez.

Os israelitas começam a reclamar novamente sobre a sua sede e perguntam por que Moisés os tirou do Egito.

Continua após a publicidade

Vendo isso, Deus diz a Moisés para falar com uma rocha para trazer água para todo o povo, mas Moisés não faz isso, o líder ultrapassa os seus limites!

Moises bate na pedra 2 vezes e depois diz o seguinte: “seus rebeldes, será que nós vamos ter que tirar a água desta rocha?” 

Com essa atitude Moisés desonra o Senhor colocando-se no lugar do próprio Deus alegando ser aquele que faz o milagre e traz a água.

Ao invés de falar à rocha, Moisés bate na rocha duas vezes de forma agressiva e raivosa. A ordem de Deus para falar à rocha tinha como objetivo exaltar e glorificar o nome do Senhor e mostrar que Ele era o autor do milagre. 

Mas quando Moisés bate na rocha raivosamente chama a atenção para si e não glorifica o nome do Senhor diante do povo!

Assim o líder traz sobre si o mesmo destino que a geração do deserto: Deus decreta que ele também morrerá antes de entrar na terra prometida.

Entrando nas Planícies de Moabe.

A partir daqui a nação de Deus se dirige para as planícies de Moabe…

Logo o rei de Moabe fica assustado com a presença desse grupo enorme de pessoas que viaja pelo seu território e então contrata um profeta chamado Balaão para amaldiçoar Israel.

Saiba mais sobre essa passagem no estudo: Quem foi Balaão e sua jumenta que fala na Bíblia?

Balão descobre que não pode amaldiçoá-lo, ao contrário: ele só pode pronunciar bênçãos sobre Israel, porque é impossível amaldiçoar algo que Deus já abençoou.

Assim a história de Balaão mostra a graça de Deus em cores brilhantes, pois neste momento Israel está em um acampamento resmungando e sem o conhecimento deles Deus está os protegendo. 

Esse é o contraste entre a rebelião de Israel e a fidelidade de Deus ao seu povo! 

Depois disso o livro de números se concentra nos filhos da geração do deserto que começam a se preparar para herdar a terra prometida.

O que podemos aprender com o livro de Números?

O que podemos aprender com o livro de Números?

Sem dúvidas o livro de números nos traz muitas lições e ensinamentos incríveis, afinal toda a bíblia é 100% proveitosa para os dias de hoje.

Por isso achei de grande valia separar e citar 3 desses aprendizados logo abaixo. Continue a leitura!

Deus gosta de organização.

Não existe ninguém mais organizado do que o próprio Deus! Até porque, se observarmos bem, em tudo que aponta para Deus há ordem e perfeição.

Esta verdade está escancarada no livro de Números, onde antes mesmo de se iniciar a peregrinação Deus prepara o povo organizando um a um.

Aqui notamos a importância e o peso que Deus dá à organização!

Se você está no deserto a anos e não entende porque, quem sabe o motivo seja algo que se mantém desorganizado em sua vida…

Em Números o próprio Deus mandou contar cada homem e colocá-los no seu devido lugar, portanto não temos desculpas para viver desorganizadamente.

A incredulidade precede a queda.

Toda a Bíblia nos mostra que a incredulidade é um empecilho para a salvação e para ver os milagres de Deus em nossas vidas. 

Incredulidade é a falta de fé, ou a recusa em crer!

Durante a peregrinação no deserto 10 dos 12 espias que foram enviados por Moisés se mostraram incrédulos, por conta disso morreu aquela geração e o Senhor levantou outra.

Ao ler o livro de números aprendemos que a incredulidade é um grande perigo e não crer no que Deus pode fazer traz terríveis consequências.

Note que por causa da incredulidade o povo de Israel passou 38 anos (além do necessário) a mais no deserto para conseguir chegar em Canaã.

Deus abomina o espírito de rebeldia.

O espirito de rebeldia é um ataque contra um poder ou autoridade que está em vigor.

A Bíblia faz vários avisos contra os rebeldes, e indica claramente que os rebeldes sofrem consequências negativas, mais cedo ou mais tarde. 

O livro de Números nos traz uma série de advertências contra a murmuração e a revolta contra o homem de deus, por isso devemos fugir do espírito de rebeldia.

Toda a rebeldia contra líderes estabelecidos por Deus se traduz em rebeldia contra o próprio Deus!

Agora Você Vai Entender a Bíblia de Gênesis a Apocalipse de Uma Maneira que Você Nunca Entendeu Antes. Clique Aqui!

Tyago Rodrigues
Me chamo Tyago Rodrigues e sou totalmente apaixonado pelo reino de Deus e sua obra! O que queima em meu coração? Levar o Evangelho libertador às pessoas, através do ensino da Palavra de Deus, e é isso que tenho feito!